sábado, 26 de novembro de 2016

Dia de Premiados

Os Melhores do Ano do Teatro Piauiense
por maneco nascimento

A noite de 25 de novembro de festa, gratas surpresas e emoções a grupos, atores, atrizes, técnicos da cena, amigos, convidados e toda a classe artística que acorreu para ver, prestigiar e aplaudir os finalistas do Prêmio anual que agracia quem + se destacou na cena e na práxis da profissão de amor ao teatro.

Neste ano o Projeto que contempla a arte e os artistas da cena prestou homenagem a dramaturga Isis Baião, essa mineira + piauiense, impossível.

Os Melhores do Teatro Piauiense - Ano Isis Baião foi, como em todas as ocasiões em que se repete, um acontecimento. Um brilho de expectativa e depois de alegria, nos olhos dos candidatos à estatueta, ao ouvirem seus nomes como premiados.
fotos/imagem: (Edson Jr.)

Está decretado, O Troféu Os Melhores do Teatro Piauiense tem cadeira cativa no calendário de final de ano. Os colegas se encontram, os grupos e companhias de teatro torcem e aguardam os resultados, com apreensão e curiosa ansiedade.

E eis que salta um nome dos envelopes e lá estão o ator, a atriz, o ator e atriz revelação, o diretor, o(a) cenógrafo(a), o iluminador, o sonoplasta... e o público e torcida evocam aquelas manifestações de felicidade da surpresa que os pega e tudo vira uma boa festa.

Uma noite de pura felicidade compensada aos esforços de manter a cena viva em seus um pouco + trezentos dias, até que os burburinhos, proclamos, nomes indicados e, finalmente, o anúncio do(a)s premiado(a)s é feito pelos mestres no ritual de cerimônia de entrega da premiação.

Neste 2016 não foi diferente. estávamos toda a gente lá, da cidade e do interior concorrentes (Parnaíba e Floriano), à espera da abertura dos envelopes. E eles davam o mote da alegria da noite,

Venceram essa parada das cenas, nos Prêmios Técnicos, os artistas e suas companhias de teatro:

*Melhor Iluminador, Assai Campelo, pela Iluminação/Luz de "A Casa de Bernarda Alba". Texto de Garcia Lorca e Direção de Arimatan Martins, pelo Grupo Harém de Teatro.
*Jafah Barbosa levou o Troféu de Melhor Sonoplastia incursionada no espetáculo "O Mágico de OZ". Montagem do Grupo Escarlet de Teatro (Floriano - Pi).
*O Melhor Figurinista, escolhido pela Comissão de Avaliação, foi Hugo Leonardo. O figurinista construiu sua versão de conceito ao espetáculo "As Sete Irmãs", texto de Walden Luiz; direção de Júnior Marks e montagem do Grupo Humanitas de Teatro, da cidade de Timon, no Maranhão.
*Manu Andrade, pelo espetáculo "A Casa de Bernarda Alba" (Grupo Harém de Teatro) levou a estatueta de Melhor Cenografia.
*O Produtor Destaque do Ano coube ao ator, diretor, autor, professor de literatura e português e produtor executivo de teatro, Vitorino Rodrigues, de Teresina - Pi.

(Prêmios do Humanitas e VR Produções/ foto: Fabiany Schalcher)

*Para a melhor dramaturgia original, o Prêmio o Melhor Autor (piauiense ou residente no Piauí), foi para Rodrigo Serra, de Parnaíba - Pi, pelo texto "Casa Lenon - Para Jovens Especiais".
*A Cia. de Teatro CotJoc, de Teresina, Piauí, ganhou o Troféu de Grupo em Destaque no Ano.

Aos Prêmios ligados, diretamente à arte do ator e método, quem levou a estatueta foram:

*Melhor Atriz Revelação, por "As Sete Irmãs" foi Iarla Ribeiro, do Humanitas de Teatro.

fotos/imagem: (Iarla Ribeiro)

*Melhor Ator Revelação, com atuação em "As Sete Irmãs" foi Marcelo Rêgo, também pelo Humanitas de Teatro.
*O Prêmio de Melhor Ator afinou a Fernando Freitas, por "A Casa de Bernarda Alba" (Harém de Teatro).
*A Melhor Atriz desse 2016 foi Lari Salles, pelo desempenho em "A Casa de Bernarda Alba" (Harém de Teatro).
*Arimatan Martins levou o de Melhor Direção pela assinatura de "A Casa de Bernarda Alba" (Harém de Teatro)
E o *Melhor Espetáculo do Ano de 2016 também ficou com o Harém de Teatro, para "A Casa de Bernarda Alba".

+ um ano e um rito de presenças cênicas e ritual de memória e história preservada do Teatro Piauiense que se constrói por aqui. O Troféu Os Melhores do Ano do Teatro Piauiense é uma iniciativa idealizada por Aci Campelo, da A&C Promoções e Produções Culturais (vide Aci Campelo e Carmem Carvalho) e reforçada pela Cia. Grande Otelo de Teatro (Edson Jr.) e Jesus Viana.

Gera um dia de festejar a cena que aqui se produz e valorizar a arte do artista do teatro piauiense que se constrói a cada nova empreitada. Cumpre seu papel memória e história e marca o calendário de comemorações de ser e fazer teatro.

Evoé, teatro piauiense!

fotos/imagem: (Edson Jr./Fabiany Schalcher/Iarla Ribeiro)

3 comentários: